Cadastre-see receba
informações exclusivas

Notícias

Automação Predial economiza até 40% de energia

Fonte: Site Ambiente Energia

Automação Predial economiza até 40% de energia

Novos prédios em São Paulo apostam em recursos de automação residencial para promoverem o consumo e uso consciente de energia entre os moradores. Somente neste trimestre, a iHouse equipará três empreendimentos da Lindencorp com o Snapgrid, uma solução para gerenciamento de energia através do monitoramento de ambientes ou equipamentos

O tema energia elétrica nunca esteve tão em evidência no Brasil quanto nas últimas semanas. Diante do cenário, soluções que permitem o uso consciente de recursos chamam atenção. Umas destas soluções é o Snapgrid, tecnologia desenvolvida pela iHouse, que gerencia o uso de energia e mensura, em reais ou quilowatts, o consumo 24 horas por dia. Dirigida pelo empresário Leonardo Senna, a empresa integrou esse equipamento em três empreendimentos da Lindencorp, um em São Paulo (Villa 156) e dois em São Caetano do Sul (Costa Esmeralda e Reserva Cerâmica). Para a Aureside (Associação das Empresas de Automação Residencial), há muitos componentes de automação capaz de reduzir o custo geral do edifício. Os prédios inteligentes, equipados com este tipo de solução, por exemplo, podem evitar que a taxa de condomínio fique 30% a 40% mais cara, considerando que a tendência para os próximos anos é que a energia seja um recurso cada vez mais caro.

Alerta no setor de energia

O recente levantamento do TCU (Tribunal de Contas da União) mostrou um atraso de 79% na entrega da maioria das obras de hidrelétricas e linhas de transmissão no país. Ao todo, os 36% do volume de energia que o governo esperava adicionar ao parque elétrico, entre janeiro e julho de 2014, não se confirmaram. Esse dado acentuou o debate sobre o setor de energia no país, principalmente com os níveis cada vez mais baixos dos reservatórios, em várias regiões. O fato é que quando uma obra do setor elétrico atrasa, menos energia entra no sistema e o resultado é um aumento do custo dessa energia, algo que tende a se intensificar com os anos.

Automação em prol do controle e consumo energético

Para Leonardo Senna, o mercado de automação está em uma fase nova, pois as tecnologias passaram a agregar mais do que estilo, conveniência e conforto, possibilitando também o uso consciente e a economia dos recursos. “As pessoas valorizam tecnologia em seus equipamentos pessoais, em seus automóveis e, consequentemente, também desejam uma casa mais inteligente. Hoje as pessoas conseguem monitorar a energia consumida em ambientes ou aparelhos eletrodomésticos e, dessa forma, podem economizar e ter um melhor controle da casa”, afirma.

A iHouse tem parceria com incorporadoras e construtoras por todo o Brasil e, atualmente, 95% dos projetos da empresa atendem a este tipo de demanda. Somente no segundo semestre, a empresa terá equipamentos instalados em 29 empreendimentos, em 14 cidades brasileiras. A projeção é que o setor de automação avance de 15% a 20% em 2014, bem acima dos 2% que os economistas estimam para o crescimento do país neste ano. “Em média, o setor de sistemas inteligentes movimenta cerca de 1 bilhão de reais no país”, conta o diretor executivo da Aureside, José Roberto Muratori.

Gerenciador identifica os “vilões” do consumo da energia

Afinal, o que consome mais energia, o freezer, o sistema de aquecimento da água ou o secador de cabelo? Se a ideia for saber quanto cada eletrodoméstico ou ambiente da casa consome de energia, basta instalar esse equipamento junto ao quadro de disjuntores. De fácil utilização e compreensão, o Snapgrid pode ser comandado por toques, basta deslizar o dedo sobre a tela, que o consumo energético da residência ou empresa será exibido 24 horas por dia.

Inédito no mercado, o aparelho controla o gasto de energia elétrica, em quilovates ou em reais, oferecendo 16 canais para monitoramento, que podem ser programados junto a outros aparelhos ou ambientes. O consumo de energia é apresentado no painel de cristal líquido do equipamento de três formas diferentes: modo instantâneo (consumo no exato momento da consulta, sendo atualizado a cada um minuto), opção acumulado (soma do consumo iniciado após a leitura pela empresa concessionária de energia elétrica até a data de consulta) ou como previsão para o mês (estimativa mensal baseada no consumo médio 

Últimas Notícias

Carregar Mais

Aureside na Imprensa

"Casa inteligente já é uma realidade" - O Globo (maio de 2017)

"O Trabalho no Futuro" - TV Novo Tempo (maio 2017)

"Descubra se vale a pena investir na automação residencial" - Portal G1- Globo (set 2016)

"A casa que pensa" - "Folha de São Paulo" (set 2016)

"Idosos conectados geram demanda por inovação" - "O Estado de São Paulo" (ago 2016)

Carregar Mais