Cadastre-see receba
informações exclusivas

Notícias

O mercado de Casa Inteligente pode amadurecer logo

Fonte: Condwell Banker (jan 2016)

O mercado de Casa Inteligente pode amadurecer logo

Normalmente, o ano de 2020 tem sido um ponto de referência para quando a "casa inteligente" vai finalmente ser um mercado dominante nos EUA, mas de acordo com os resultados de uma pesquisa divulgada pelo Coldwell Banker , parece que isto pode acontecer bem antes do que pensávamos.

A pesquisa de mercado, que entrevistou mais de 4.000 norte-americanos antes da CES 2016, descobriu que quase metade (45 por cento) de todos os americanos, querem adotar tecnologia própria para a casa inteligente ou planejam investir nisto em 2016. A pesquisa também mostrou que não são apenas o inovadores que estão a bordo desta tendencia. De pessoas que ou têm tecnologia de casa inteligente ou pretendem comprá-la em 2016, mais de um em cada três (36 por cento) dizem que não se consideram os primeiros a adotar a tecnologia.

A pesquisa de mercado também descobriu que mais da metade dos proprietários de imóveis (54 por cento) iria comprar ou instalar produtos de casa inteligente se eles estiverem vendendo a sua casa e perceberem que isso iria tornar a venda mais rápida. Desse grupo, 65 por cento iria pagar US $ 1.500 ou mais por estas soluções.

"Perto de cinco milhões de casas existentes foram vendidas nos Estados Unidos em 2014, o que representa um enorme espaço  para os fabricantes de soluções para casa inteligente", disse Sean Blankenship, diretor de marketing da Coldwell Banker. "Estamos com o objetivo de ser o elo de ligação entre estes fabricantes e os compradores e vendedores, e a realização desta pesquisa foi um dos primeiros de muitos passos para alcançar esse objetivo."

Achados adicionais da Pesquisa de mercado

  • Entretenimento é o caminho de entrada para a tecnologia de casa inteligente.
  • O mais popular tipo de tecnologia de casa inteligente que as pessoas já possuem: entretenimento inteligente, como SmarTVs e sistemas de som ambiente (44 por cento das pessoas com a tecnologia de casa inteligente).
  • Os próximos mais populares tipos de tecnologia de casa inteligente que as pessoas atualmente têm instalados em sua casa incluem a segurança inteligente (31 por cento) e controle de climatização (30 por cento).
  • A maioria dos americanos acha que uma casa pode ser considerada "inteligente" se tem segurança inteligente, temperatura, iluminação e prevenção de acidentes.
  • Quando perguntado sobre o que precisa ter uma casa para que possa ser considerada "inteligente", as melhores opções são a segurança (por exemplo, fechaduras e sistemas de alarme - 63 por cento), temperatura (por exemplo, termostatos - 63 por cento), iluminação (por exemplo,controle de iluminação - 58 por cento) e de prevenção (por exemplo, incêndio / detectores de monóxido de carbono e gás - 56 por cento).
  • Mais de três quartos (76 por cento) dos americanos pensam que ter apenas uma categoria de tecnologia inteligente em sua casa não é suficiente para que possa ser considerada inteligente.
  • Tecnologia de casa inteligente não é mais apenas para os jovens e ricos.
  • As gerações mais velhas estão adotando certos tipos de tecnologia de casa inteligente mais rápido do que os mais jovens. Por exemplo, 40 por cento das pessoas com mais de 65 anos possuem estas soluções atualmente com produtos de temperatura inteligentes, em comparação com apenas 25 por cento dos Millennials (idades 18 a 34).
  • Comprar produtos casa inteligente é em uma palavra - viciante.
  • Setenta (70) por cento das pessoas com a tecnologia em sua casa inteligente disse que sua primeira compra para a casa inteligente tornou-os mais propensos a comprar outros itens

Últimas Notícias

Carregar Mais

Aureside na Imprensa

"Descubra se vale a pena investir na automação residencial" - Portal G1- Globo (set 2016)

"A casa que pensa" - "Folha de São Paulo" (set 2016)

"Idosos conectados geram demanda por inovação" - "O Estado de São Paulo" (ago 2016)

"Mercado de Automação segue em forte crescimento" - BitMag (abr 2016)

"Classe media adere à automação" - O Diário - Paraná (mar 2016)

Carregar Mais